Arquivo da categoria: Revisitado

Convite de Inauguração

Ér, hã, nos momentos que eu tenho de descontração, eu, de vez em quando, vou ao cinema, e lá… Bem, tem várias coisas que atrapalham no cinema, mas eu descobri que tem um cinema na avenida paulista que proibiu, bem, … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Fragmento 6

Sagrado, gritou o padre; delicioso, gritou o jovem; morto, gritou o velho; sobrevivência, gritou a puta; raro, gritou a esposa; nulo, gritou o abstinente; feio, gritou a católica; imundo, gritou o protestante; quente, gritou a francesa; metafísico, gritou o prolixo; … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , | Deixe um comentário

Era uma bela manhã de sol, pássaros cantavam, pessoas caminhavam sorrindo, carros passavam cantarolando músicas prosaicas. Justo na manhã em que minha espingarda estava sem balas.

Eu sou exatamente como um vírus, um risco a ser evitado, um mal entendido desnecessário de se cometer. Uma pedra sobre qualquer tipo de plano, e plana, voa entre as diversas possibilidades, eu sou a curvatura da terra sumindo no … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , | Deixe um comentário

Estou Cansado

Estou Cansado.Estou farto. Estou cansado de mim, de pensar e de ser. Estou cansado de agir sempre da mesma forma, pelo mesmo pretexto, cansado de comer a mesma comida e achar bom, cansado de procurar onde não está, tudo aquilo … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

Feliz Natal

Peo, vamos beber whisky. Pedro, eu to indo embora. Pedrinho, acorda.                                                                                                                     Acorda que ta chegando a hora, e não tem nada, nem ninguém pra comemorar.         Levanta e olha, e vê que hoje é o dia da mais pura falsidade.                                                Você … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Deixe um comentário

O Jovem Pedro

Engraçado como algumas palavras não fazem mais sentido depois que o desespero passa. Geralmente aquelas precedidas pela palavra nunca. Ou nunca precedidas por palavra alguma. E que procedam as inferências…

Publicado em Revisitado | Deixe um comentário

Pra Salvar a Madrugada

São mesmo as melhores coisas do mundo, São Paulo, Pedro e nunca. São todos os santos juntos, são milagres profundos, são merecedores de uma vida silvestre, selvagem, voraz, e a nota o público é quem dá, aliás, é quem atira … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , | Deixe um comentário

Sinestesia

A Imagem Digamos por assim dizer que a construção que se erguia do chão era cinza, que os carros surgiam e gritavam palavrões obscenos, que a menina tropeçava e caia do céu, no chão. Que a fila do café seguia … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , | Deixe um comentário

Divagações Sobre um Diletante na Arte de Ser Solitário

Gritava intermitentemente a mulher a minha frente, cadenciado, bendita hora que assinei o canal erótico. É tarde da noite e só ele, e ela, me fazem companhia. Na solidão do meu apartamento exercito a solidão da minha existência. Exercito a … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Revisitado

Eu não sou orgulho nem princípios, só vontade e raciocínio. No pára-brisa molhado eu vejo borrar a maquiagem da cidade, eu vejo as gotas maltratarem o trânsito e as coisas se tornam lindamente mais feias, eu gosto de coisas bonitas … Continuar lendo

Publicado em Revisitado | Marcado com | Deixe um comentário