Saudade

Eu tenho vinte e seis anos e morro de saudades. Saudade do ano passado e saudade de minha mais antiga lembrança. Qualquer não falante de lingua portuguesa não conhece o que é a palavra saudade. E quem tem cinquenta anos? E quem já goza de seus idos setenta solstícios? E quem nunca realizou um plano? E quem já realizou todos os sonhos? E quem não se lembra de nada? E quem tem memória eidética? Lembrar-se é um drama, cheiro, cor, gosto, movimento, gozo, sorriso, rosto envelhecido, envelhecido mas ainda novo. Som.

Anúncios

Sobre drepo

Pedro Lacerda, filho de Robson Lopes e Marivalda Lacerda, do Vale do Jequitinhonha.
Esse post foi publicado em Texto. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s